Orgone & Neurons

SEXUALIDADE E ADOLESCÊNCIA

SIGNIFICADO:  – Adolescer vem do latim e significa crescer, atingir a maturidade;

A Organização Mundial de Saúde (OMS) define adolescência como sendo o período da vida que começa aos 10 anos e termina aos 19 anos completos. Para a OMS, a adolescência é dividida em duas fases: Pré-adolescência – dos 10 aos 14 anos, Adolescência – dos 15 aos 19 anos completos. Pela Organização das Nações Unidas (ONU) entre 15 e 24 anos, critério este usado principalmente para fins estatísticos e políticos. E para o ECA – Estatuto da Criança e do Adolescente, Art. 2º- considera-se criança, para os efeitos desta Lei, a pessoa até 12 anos de idade incompletos, e adolescente aquela entre 12 e 18 anos de idade.

A adolescência, pode ser compreendida, como uma situação de vida, a que todo ser humano está sujeito e que é responsável por desencadear toda essa transformação corporal, emocional, social e econômica. Dessa maneira, faz-se necessário considerar os múltiplos fatores que lhe cercam e dão direção, pois, de fato, este é um período no qual o indivíduo busca formar a sua própria identidade, podendo evidenciar mudança de atitudes e valores.

Observa-se também mudanças psicológicas que envolvem alteração de humor, desejo de viver intensamente, atração sexual, questionamentos sobre a vida, necessidade de aceitação, formação de grupos, afirmação da identidade pessoal e sexual e a iniciação na vida sexual.

A sexualidade é, também, uma forma de comunicação entre as pessoas, sendo influenciada pelas experiências vividas durante a infância e adolescência. Acima de tudo, o ser humano é social e o processo de relação realiza-se fortemente através da sexualidade.

Essa fase envolve dois processos distintos, porém superpostos e interligados: a puberdade e a adolescência. A puberdade é o período das mudanças físicas que resultam no amadurecimento sexual que possibilita a reprodução. A adolescência compreende todas as mudanças sociais e emocionais dessa faixa etária.

O sexo desempenha papel importante e básico em nossas vidas. Mas, para o ser humano, a atividade sexual não se restringe à reprodução. A sexualidade é fundamental para os indivíduos, porque estar bem consigo mesmo inclui estar bem com a própria sexualidade, sendo fator indispensável para a felicidade. Entretanto, ao mesmo tempo em que o adolescente sente fluir os impulsos sexuais, sente culpa e medo do que está sentindo. Além disso, vive angustiado por ter comportamentos e anseios diferentes daqueles que os pais recomendam em relação ao sexo.

A educação Sexual tem como objetivo despertar nos indivíduos adolescentes uma forma responsável de vivenciarem a sua sexualidade, baseada na busca do prazer pessoal e no respeito à liberdade, aos limites e à integralidade do outro. Perceber a necessidade sexual dos adolescentes não significa compactuar com a libertinagem, mas tornar possível um contato sadio e protegido entre eles.

O que se mostra ao adolescente é um contraste profundo. De um lado, a superexposição do corpo e da sexualidade humana. De outro, um moralismo cortante, que impede que o assunto seja discutido profundamente, formando consciências e opiniões. Adolescentes e jovens não são reconhecidos socialmente como pessoas sexuadas, livres e autônomas, isso os colocam em situações de vulnerabilidade, no plano pessoal, social e institucional, e a diversas interdições pessoais. Entretanto, uma pessoa pode tornar-se menos vulnerável se for capaz de reinterpretar criticamente mensagens sociais que a coloca em situações de desvantagem, mas a sua vulnerabilidade pode aumentar se a mesma não tem oportunidades de ressignificar as mensagens emitidas no seu entorno.

A CLÍNICA ORGONE-NEUROS abordará esse tema na Roda de Palestras sobre Sexualidade e Relacionamentos, nessa primeira palestra, que irá se realizar no dia 30/09/3020, das 20h às 22h, na plataforma ZOOM, iremos falar sobre SXUALIDADE e ADOLESCENTES, com os seguintes temas:

  • PUBERDADE e HORMÔNIOS;
  • EXISTE IDADE CERTA PARA A INICIAÇÃO SEXUAL?
  • RISCOS FÍSICOS E EMOCIONAIS COM A INICIAÇÃO SEXUAL PRECOCE;
  • MASTURBAÇÃO/SEXO ORAL/SEXO ANAL;
  • LIMITE E RESPEITO;
  • SABER DIZER NÃO.

Faça a sua inscrição no link:

REFERÊNCIAS:

ABRAMOVAY, M. JUVENTUDE E SEXUALIDADE/ Miriam Abramovay, Mary Garcia Castro e Lorena Bernadete da Silva. UNESCO Brasil, 2004.

BRASIL. Lei 8.069, de 13 de Julho de 1990. ESTATUTO DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE. Brasília: Ministério da Justiça, 1990.

BRILHANTE, A. V. M.; CATRIB, A. M. F. Catrib. SEXUALIDADE NA ADOLESCÊNCIA. FEMINA. Outubro 2011. vol 39. nº 10. Disponível em: http://files.bvs.br/upload/S/0100-7254/2011/v39n10/a2966.pdf

CANO, M. A. T.; FERRIANI, M. das G. C.; GOMES, R. SEXUALIDADE NA ADOLESCÊNCIA: um estudo bibliográfico. Rev. Latino-Am. Enfermagem vol.8 no.2 Ribeirão Preto Apr. 2000. Disponível em: https://doi.org/10.1590/S0104-11692000000200004.

KONRATH, V. L. EDUCAÇÃO SEXUAL NAS ESCOLAS: Marcas e Concepções Culturais. UNIVATES. Mestrado Profissional em Ensino de Ciências Exatas. Disponível em: https://www.univates.br/bdu/bitstream/10737/298/1/VeraKonrath.pdf

MAROLAL, C. A. G.; SANCHES, C. S. M.; CARDOSO, L. M. FORMAÇÃO DE CONCEITOS EM SEXUALIDADE NA ADOLESCÊNCIA E SUAS INFLUÊNCIAS. Psicologia da Educação no.33. São Paulo dez. 2011. Disponível em: http://pepsic.bvsalud.org/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1414-69752011000200006

Compartilhe:
Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on email
Raílda Schmidt

Railda Schmidt

Psicóloga
Inscreva-se na Newsletter: